Henry For e a linha de montagem

Teorias da Administração

Henry For e a linha de montagem

A linha de montagem se originou na época do Taylorismo baseada em dois princípios da produção em massa, que é a fabricação de produtos não diferenciados em grandes quantidades, peças padronizadas e trabalhador especializado. Consiste basicamente:

  • Peça e componente padronizado: na produção em massa, cada peça ou componente pode ser montada em qualquer sistema ou produto final. Para alcançar a padronização, Ford passou a utilizar o mesmo sistema de calibragem para todos os seus processos. Esse principio deu origem ao controle de qualidade cujo o objetivo é a uniformidade das peças.
  • Especialização do trabalhador: cada pessoa e cada grupo de pessoas, num sistema de produção em massa, têm uma tarefa fixa dentro de uma etapa de um processo definido com sua devida especialidade.

Fayol e o processo administrativo

De acordo com Fayol, a administração é uma atividade comum a todos os empreendimentos humanos (família, negócio, governo) e que sempre exigiu algum grau de planejamento, organização, comando, coordenação e controle (processo administrativo). Fayol chegou a ser diretor de uma grande empresa de mineração em 1888 que a estava quase falida, mas em 1918 quando se aposentou da empresa estava bem sólido no mercado. Esse resultado é devido:
  • a Administração é uma função distintas das demais funções como finanças, produção e distribuição;
  • a Administração é um processo de planejamento, organização, comando, coordenação e controle;
  • o Sistema de Administração pode ser ensinado a aprendido.

Princípios da Administração segundo Fayol

  • Divisão do trabalho;
  • Autoridade e responsabilidade (recompensa ou penalidade que acompanha o exercício do poder);
  • Disciplina (acordos das empresas e seus agentes);
  • Unidade de comando (cada individuo tem apenas um só superior);
  • Unidade de direção (um só chefe e um só programa para um conjunto de operações que visam ao mesmo objetivo);
  • Subordinação do interesse individual ao interesse geral;
  • Renumeração do pessoal, de forma justa e com base de tanto em fatores externos quanto internos;
  • Centralização (o equilíbrio entre a concentração de poderes de decisão no chefe e sua capacidade de enfrentar suas responsabilidades);
  • Cadeia de comando (linha autoridade, ou hierarquia, a série dos chefes desde o primeiro ao último);
  • Ordem (um lugar para cada pessoa e cada pessoa em seu lugar);
  • Equidade (o tratamento das pessoas com benevolência e justiça, não excluindo a energia e o rigor quando necessários);
  • Estabilidade pessoal (a manutenção das equipes como forma de promover seu desenvolvimento);
  • Iniciativa;
  • Espírito de equipe.

Max Weber e a burocracia

A palavra burocracia, em seu sentido original indica uma forma de organização que se baseia a racionalidade das leis. O alemão Max Weber na década de XX fez estudo pioneiro sobre as burocracias o que ele chamou de ideal de burocracia. Para Weber, a sociedade e as organizações modernas são sistemas de normas impessoais e são elas que regem o comportamento das pessoas.

Weber descreveu que as organizações burocráticas são como máquinas totalmente impessoais, que funcionam de acordo com as regras que chamou de racionais (regras que dependem da lógica e não de interesses pessoais). Toda organização formal moderna é burocrática e se fundamenta na atividade das leis (autoridade legal-racional). Segundo Weber a administração burocrática é a forma mais racional de exercer a dominação.

Enfoque comportamental

Nos três primeiro enfoque as pessoas são colocadas em segundo plano considerando apenas a produção. Essa visão vem desde a Revolução Industrial, pois a prioridade era a eficiência e as pessoas eram apenas "peça humanas". O enfoque comportamental considera as pessoas como sendo as mais importantes da organização e de seu desempenho.

Esse enfoque se divide em dois grandes ramos. O primeiro ramo abrange as teorias sobre o comportamento das pessoas como indivíduos: suas características pessoais. O segundo ramo abrange as teorias sobre o comportamento coletivo nas organizações se referindo a cultura organizacional.

Primeiro ramo (individuais)
Segundo ramo (coletivo)
Competência
Motivação
Atitude
Liderança
Traços de personalidade
Comunicação

0 comentários:

Leia também

 

Copyright © De Tudo e Mais Um Pouco! Design by O Pregador | Blogger Theme by Blogger Template de luxo | Powered by Blogger