Planejamento e Gestão Financeira Introdução

Planejamento e Gestão Financeira
Introdução

Planejamento e Gestão Finaceira

Uma empresa moderna necessita de uma variedade quase infinita de Ativos Reais para administrar um negócio.

Muitos destes são Ativos Tangíveis: Maquinas, fábricas e escritórios. Outros são Ativos Intangíveis: Experiência técnica, marcas registradas e patentes. Entretanto, para estarem disponíveis, todos estes ativos precisam ser pagos.

Para obter o dinheiro necessário a empresa vende pedaços de papel denominados Ativos Financeiros. Estes pedaços de papel tem valor posto que representam direitos sobre os Ativos Reais da empresa. Os Ativos Financeiros incluem não apenas as ações da empresa, mas também, debêntures, empréstimos bancários, obrigações de leasing e assim por diante.

Existem nas empresas consideráveis aplicações de recursos financeiros. Em função de diversas circunstâncias, as empresas precisas adotar ações operacionais que exigem grandes volumes de recursos. Assim, por exemplo, em função do mercado onde atuam,  de sua capacidade produtiva, da tecnologia, etc., a empresa despende recursos em ações operacionais, por exemplo:

Lançamento de produtos, ou modificações dos existentes.
Implantação de novas unidade de negócios ou filiais.
Ampliação das instalações produtivas, ou substituição de máquinas.

A correta tomada de decisão é, sem dúvida, o que se espera de qualquer administrador, mas é igualmente evidente que na realidade, as decisões poderão ser avaliadas, quanto à sua eficiência no futuro, uma vez que toda decisão diz respeito às ações futuras, ao caminho que as empresas irão seguir. O objetivo de todo administrador, ao optar por uma alternativa de ação, é apontar à empresa o caminho a ser seguido e que poderá possibilitar-lhe, a curto, médio ou longo prazo, a maximização dos lucros. Conclusão: Podemos então dizer que é o estudo das Finanças Corporativas que proporciona ao administrador o ferramental necessário para a tomada de decisões ótimas no desempenho de sua atividade profissional.

O que é Finanças?

Podemos definir finanças como a arte e a ciência de administrar fundos.  Praticamente todos os indivíduos e organizações obtêm receitas ou levantam fundos, gastam ou investem. A disciplina Finanças ocupa-se do processo, instituições, mercados e instrumentos envolvidos na transferência de fundo entre pessoas, empresas e governos.

A Administração Financeira diz respeito às responsabilidades do administrador financeiro numa empresa. Os administradores financeiros administram ativamente as finanças de todos os tipos de empresa, financeiras ou não financeiras, privadas ou públicas, grandes ou pequenas, com ou sem fins lucrativos. Eles desempenham uma variedade de tarefas, tais como orçamento, previsões financeiras, administração do caixa, administração do crédito, analise de investimentos e captação de fundos.

Finanças é, antes de qualquer coisa, um processo decisório. Assim, se não houver nenhuma decisão a tomar podemos dizer que não há finanças a fazer. É comum uma pessoa confundir finanças com atividades de, por exemplo, registro de operações financeiras. Operações de registro envolvem dados financeiros, mas estão longe de significarem que a pessoa está lidando com finanças. Para caracterizarmos finanças precisamos ter, na verdade 3 condições: Haver uma decisão a ser tomada; essa decisão envolve dinheiro e, por último, haver o objetivo de criação de riqueza. Assim, por exemplo, se determinada pessoas estivesse tomando decisões a respeito de como distribuir seu dinheiro para a caridade, ela estaria próxima de fazer finanças, mas não teria como objetivo de como processo decisório envolvendo dinheiro a criação de riqueza. Portanto, diríamos que tal pessoa não estaria fazendo finanças.

Objetivo de Finanças

Finanças têm o mesmo objetivo de Administração em geral: maximizar a riqueza do proprietário, ou proprietários, da empresa se for uma sociedades por ações, poderemos falar em acionista, ou acionistas. É preciso que se compreenda que a empresa só surge devido ao investimento feito pelos proprietários. É natural, portanto, que o objetivo da empresa seja de criar riqueza para os mesmos. Sempre que esse objetivo é desvirtuado temos um processo administrativo falho que repercute em prejuízo para toda a sociedade uma vez que desestimula os donos do capital a prosseguir na tarefa de correrem risco com seu capital e investimento em novos negócios. 

Funções da área de finanças

Todas as atividades empresariais envolvem recursos e, portanto, são conduzidas para a obtenção de lucros. Assim, é importante compreender o papel da área finanças dentro das empresas. Todas as funções financeiras podem ser sintetizadas em apenas três. Pedimos especial atenção para a segunda, que é se longe a mais importante.

Análise, planejamento e controle financeiro, garantindo fluxo de caixa positivo.

Consistem em coordenar, monitorar e avaliar todas as atividades da empresa, por meio de dados financeiros, bem como determinar o volume de capital necessário, tanto no curto como no longo prazo. Veremos que o jogo da empresa é definido principalmente no longo prazo. No entanto o mercado costuma dizer que não existe longo prazo para quem não sobrevive no curto prazo. Existem exemplos recentes de empresas que não tiveram prejuízo nos últimos anos, e que estavam razoavelmente bem até recentemente virem o valor de suas ações despencarem, com a pulverização de bilhões de dólares de riqueza dos acionistas. Qual o motivo? Descuidaram-se do gerenciamento de curto prazo e estão sem caixa para o pagamento de suas dívidas. Não basta uma empresa, ou individuo, estarem bem economicamente, isto é ter patrimônio. É preciso ter caixa para pagamento das dividas de curto prazo.

0 comentários:

Leia também

 

Copyright © De Tudo e Mais Um Pouco! Design by O Pregador | Blogger Theme by Blogger Template de luxo | Powered by Blogger